domingo, 18 de dezembro de 2016

Suspeito de assaltar banco é preso no PI após ser reconhecido pela tatuagem

Ele foi preso na cidade de Campo Maior quando abastecia a motocicleta. O preso é suspeito de participar do assalto do Banco do Brasil de Piracuruca.

Um homem suspeito de participar do assalto ao Banco do Brasil de Piracuruca, em março deste ano, foi preso na noite de sábado (17), após um policial militar o reconhecer por causa de uma tatuagem no braço. Segundo a Polícia Militar, ele estava abastecendo a moto em um posto de combustível quando foi reconhecido. Ele foi preso na cidade de Campo Maior, localizada a 81 km de Teresina.

Tatuagem ajuda polícia a reconhecer suspeito de crimes (Foto: Divulgação/Polícia Militar)

“Uma equipe realizava rondas na cidade e viu esse rapaz abastecendo a moto, um dos policiais reconheceu a tatuagem como sendo de um suspeito de cometer assaltos na cidade e como participante do assalto do banco de Piracuruca. Ele estava sem documento, tanto dele quanto da moto e por isso foi encaminhado para a delegacia. Na abordagem ele negou participação nos crimes e passagem pela policia, afirmando que estava na cidade vendendo cosméticos, mas depois de busca e reconhecimento foi comprovado sua passagem pela polícia”, explicou o major Etevaldo Alves, comandante da Polícia Militar de Campo Maior.

Na delegacia foi realizada uma busca mais minuciosa e foi encontrado um mandado de prisão em aberto por conta de um latrocínio, roubo seguido de morte, de um taxista na cidade de Nova Russas, no Ceará. O preso tem 23 anos e é natural da cidade de Iguatu, também no Ceará.

“É um individuo muito perigoso e policial de Piracuruca já o reconheceram como um dos envolvidos no assalto do Banco do Brasil de lá. Ele estava escondido em uma casa no bairro Cariri, em Campo Maior, e já apontou outras sete pessoas que também estavam com ele fazendo, segundo eles, a venda de cosméticos. A suspeita da polícia é que ele, junto com o grupo, estão na cidade colhendo informações e fazendo o levantamento para realizar alguma ação mais grave, como assalto a banco”, disse o comandante.

A polícia ainda informou que ele tem fotos nas redes sociais ostentando uma pistola, que seria a roubada de um policial no dia do assalto ao bando de Piracuruca. “Já recolhemos várias fotos dele nas redes sociais ostentando uma pistola que foi a roubada no dia do assalto ao bando, também estamos em diligência para localizar e fazer a apreensão da arma para termos a confirmação”, contou o major.

A Polícia Militar de Campo Maior já solicitou a transferência dele para Teresina e o caso já foi encaminhado para a Polícia Civil para que seja feita uma investigação mais detalhada. A polícia de Campo Maior também já realiza diligências para localizar as pessoas apontadas pelo suspeito.

Assalto Banco de Piracuruca
Uma quadrilha fortemente armada assaltou a agência do Banco do Brasil da Piracuruca, a 196 km de Teresina, no dia 10 de março deste anos. Segundo o coronel Anthony Soares, subcomandante do policiamento do interior, o grupo criminoso, que contou com pelo menos 8 integrantes, sequestrou dois PMs, fez outros reféns e os usou como escudo durante a ação criminosa.

Na ocorrência um policial foi baleado de raspão na cabeça, foi conduzido para Teresina e se recuperou bem.

Juliana BarrosDo G1 PI

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe sua opinião. Ela é muito importante para nós...