sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

Penitenciária Irmão Guido registra fuga de 17 presos durante madrugada



Detentos serraram as grades das celas do Pavilhão B nesta sexta-feira (2). Sindicato dos agentes denunciam a falta de estrutura física no presídio.

Penitenciária Irmão Guido, na BR 316 em Teresina (Foto: Gil Oliveira/ G1)

Pelo menos 17 presos fugiram da Penitenciária Irmão Guido, na madrugada desta sexta-feira (2). De acordo com o Sindicato dos Agentes Penitenciários do Piauí (Sinpoljuspi), os indivíduos arrebentaram as grades das celas do Pavilhão B e, após escalarem os paredões que cercam os pavilhões, desceram o muro usando cordas feitas de tecidos.

Para o vice-presidente do Sinpoljuspi, Kleiton Holanda, a estrutura física depredada da penitenciária facilitou a ação. Ele afirma que as grades das celas dos pavilhões estão corroídas pela ferrugem e nos muros não há cerca elétrica. Além disso, o agente denuncia a ausência de policiais nas guaritas.

“Essas grades já estavam corroídas faz tempo. Eles escalaram os paredões que deveriam ter uma guarda armada, mas não há informações que tinha gente na hora. Depois desceram a muralha que é baixa e as cercas elétricas nunca funcionaram e fugiram para a mata. Isso mostra que não há investimento por parte do governo”, relatou.

Holanda diz que a superlotação é outro fator que facilita esse tipo de ação e afirma que o problema não é exclusividade da Irmão Guido, mas afeta todo o sistema prisional do Piauí.

“São 440 pessoas para uma capacidade de 324 em um prédio depredado. Já mandamos documentos para a Sejus dizendo que a Irmão Guido não suporta 200 presos. Em todo o estado temos um sistema prisional para mil presos e abrigamos 5 mil”, disse.

Segundo o Sinpoljuspi, este ano, 160 presos fugiram de penitenciárias do Piauí e mais 200 fugiram do regime semiaberto.

Em nota, a Sejus informou que uma vistoria está sendo realizada na unidade, visando manter a ordem no presídio, evitando outros distúrbios. A equipe de engenharia da Secretaria de Justiça foi deslocada para reparar os danos causados pela fuga. De acordo com a Diretoria da Unidade de Administração Penitenciária da Sejus, desde fevereiro deste ano, a Irmão Guido não registrava fuga.

Nomes e fotografias dos foragidos já foram repassadas às forças de segurança pública e agente penitenciários também estão auxiliando nas buscas.

DO G1 PI

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe sua opinião. Ela é muito importante para nós...