quarta-feira, 19 de outubro de 2016

Idoso resiste a voz de prisão e é morto a tiros na Zona Sudeste da capital


Crime aconteceu na manhã desta quarta-feira (19) no Manoel Evangelista. Idoso de 69 anos foi atingido com três tiros e morreu no ainda no local.


Parente da vítima esteve no IML de Teresina e falou com a reportagem (Foto: Catarina Costa/G1)

Um idoso identificado como Osvaldo Ribeiro Cardoso, de 69 anos, foi morto com três disparos de arma de fogo, após se recusar a atender voz de prisão e partir para cima da polícia no bairro Manoel Evangelista, na Zona Sudeste de Teresina. De acordo com a Polícia Militar, uma equipe foi acionada com a informação de que o homem ameaçava os vizinhos com uma faca na manhã desta quarta-feira (19).

“Uma equipe do Choque Montado da Cavalaria foi acionada para conter um homem que estava ameaçando vizinhos com uma arma branca. Segundo os moradores, eles já estava há alguns dias ameaçando o pessoal e a suspeita e que ele tinha algum problema mental. Quando a equipe chegou ao local e o avistou deu ordem para ele soltar a arma e botar as mão para cima, mas ele não atendeu mesmo a equipe insistindo. Em determinado momento, ele partiu para cima dos policiais com uma faca momento em que foi atingido pelos disparos”, explicou o Capitão Francisco Cleber, do 8º Batalhão de Polícia Militar.

Quatro policias faziam parte da equipe e segundo o capitão não souberam informar de qual das armas partiram os disparos. “Ele foi atingido por três disparos, no peito, no abdômen e no braço, mas os policiais não souberam informar de qual ou quais armas partiram os disparos. A equipe foi encaminhada para a Corregedoria da Polícia Militar e deve ser encaminhada para a Central de Flagrantes para prestar depoimento e o caso vai ser investigado também pela Corregedoria”, disse o capitão.

Airton Araújo, sobrinho da vítima, foi até o IML para liberar o corpo e informou que o tio não tinha problemas, que tudo foi um mal entendido da polícia. “Foram policiais despreparados. Ele só estava numa discussão mais acalourada com um vizinho. Acabaram chamando a polícia dizendo que ele estava jogando pedras nas pessoas. Meu tio não tinha problemas psicológicos. Ele só gostava de andar na rua”, contou.

A perícia foi acionada e o Instituto de Medicina Legal foi acionado para fazer a remoção do corpo. O caso vai ser investigado pela Polícia Civil.

Juliana BarrosDo G1 PI

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe sua opinião. Ela é muito importante para nós...