quinta-feira, 25 de agosto de 2016

Trabalhadores são resgatados em condições degradantes em fazenda do Piauí



Uma ação conjunta do Ministério Público do Trabalho (MPT), Polícia Rodoviária Federal (PRF) e IBAMA flagrou 25 trabalhadores em condições análogas à de escravo em uma fazenda no município de São Francisco de Assis do Piauí, a 317 km de Teresina, na manhã da última quarta-feira (24) O procurador do Trabalho, Edno Moura, determinou a paralisação das atividades e notificou o proprietário da fazenda a prestar esclarecimentos nesta quinta-feira (25), na sede da PRF em Floriano.

A denúncia anônima foi feita à Polícia Rodoviária Federal relatava a retirada de madeira em uma propriedade rural e a suspeita de trabalho degradante. “A PRF nos procurou para investigarmos in loco. O que constatamos foi um quadro de degradância e desrespeito à dignidade do ser humano. Trabalhadores comendo no chão, bebendo água sem tratamento adequado, dormindo ao relento e sem equipamentos de proteção individual”, afirmou Edno Moura.


Os trabalhadores não tinham carteira assinada e nenhum direito trabalhista garantido. Além disso, eram obrigados a comprar motosserras, cujo valor estava sendo descontado nos seus rendimentos, e ainda tinham que comprar do empregador o combustível para fazê-las funcionar. No local, foram apreendidas oito motosserras, já que nenhum trabalhador dispunha de documentação necessária para o manuseio.


Durante a diligência, o MPT determinou a paralisação imediata das atividades e os trabalhadores foram retirados da frente de trabalho. “Já identificamos o empregador e vamos trabalhar para que ele regularize a situação desses trabalhadores, que devem ter seus salários atualizados e seus direitos assegurados”, garantiu o procurador.

fonte: Ministério Público do Trabalho | Procuradoria Regional do Trabalho da 22ª Região

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe sua opinião. Ela é muito importante para nós...