quinta-feira, 7 de julho de 2016

Estudante da UFPI é encontrada em GO e internada em clínica de reabilitação


A estudante de Ciências Sociais da Universidade Federal do Piauí (UFPI), Évylla Brandão, 22 anos, foi encontrada há cerca de um mês e meio em Anápolis (GO), 53 km de Goiânia. A família informou que ela estava na casa de um rapaz que conheceu pela internet e, devido à dependência química, está internada em uma clínica de reabilitação na capital do Goiás. 

O primo da garota, Valter Júnior, informou ao Cidadeverde.comque ela foi encontrada dias depois da campanha que mobilizou as redes sociais, no início de maio deste ano. Ela estava desaparecida desde o dia 6 do mês. A mãe do garoto com quem Évylla estava, em Anápolis, foi quem entrou em contato com a família. 

"Ela estava em contato com esse menino, que é outro usuário de drogas, foi para Anápolis e estava praticamente vivendo em uma praça com ele, na rua mesmo. A mãe dele abrigou os dois, ajudou ela, deu roupa, e mexeu nas coisas dela para encontrar um documento. Foi então que ela achou o nome dos pais dela e meu número e entrou em contato", informou. 

Os pais de Évylla seguiram de carro imediatamente para a cidade, mas ela foi avisada e acabou fugindo. O pai e a mãe da estudante já estavam voltando para Teresina quando a polícia de Goiás entrou em contato. Ela foi encontrada em uma delegacia de Goiânia e os pais deram início ao tratamento contra o uso de drogas. 

"Ela usava alguns tipos de droga. Quando ela foi encontrada, estava tão desorientada que não sabia onde estava. Quando entrou na clínica, ela só percebeu no dia seguinte que lugar era aquele", lamentou o primo. 

Ele disse ainda que a menina já havia sido internada antes, em julho do ano passado.
"Ela é uma menina extretamente inteligente, muito inteligente mesmo, mas não foi a primeira vez que isso aconteceu, não acreditamos que seja apenas drogas. De qualquer forma, ela hoje está bem, em segurança, e em tratamento", informou Valter. 

Évylla é natural de Pedreiras (MA) e morava em Teresina há alguns anos, onde cursava Ciências Sociais, curso que frequentou até o 5º período. A menina desapareceu no início do mês de maio, chegou a ser vista em algumas festas na capital piauiense depois que parou de dar notícias à família. 

Depois, deixou o estado e não foi mais vista, até ser encontrada em Anápolis. Ela deve permanecer em tratamento por cerca de seis meses.


Maria Romero
redacao@cidadeverde.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe sua opinião. Ela é muito importante para nós...