terça-feira, 29 de dezembro de 2015

Camurupim : Crime bárbaro Neto mata Avô e simula acidente


Jovem Mata Avô E Engana Família Simulando Morte Acidental Em Luís Correia

O aposentado lutou, por isso o neto não consegui matá-lo facilmente. Segundo Robinson, Manoel Bruno chegou a usar até um cabo de rodo.




Jovem mata avô e engana família simulando morte acidental no PI


Um crime bárbaro aconteceu na zona rural de Luís Correia na última quinta-feira, e quase ficou sem solução. O jovem Manoel Bruno da Conceição, de 19 anos, matou o próprio avô, Manoel Ferreira dos Santos, de 86 anos, com golpes de enxada após tentar asfixiá-lo com uma corda. Depois do crime, Manoel Bruno tentou simular morte acidental. O aposentado chegou a ser enterrado com laudo de morte natural.

O investigador Robinson Castillo conta que o rapaz “tem jeito de psicopata, o olhar duro”, e que confessou, sorrindo, o assassinato do avô. Manoel Bruno, que é padeiro na zona rural de Luís Correia, entrou na casa do aposentado e o encontrou sentado na cama. “Ele laçou o pescoço do avô com uma corda e tentou asfixiá-lo”, conta o investigador.

O aposentado lutou, por isso o neto não consegui matá-lo facilmente. Segundo Robinson, Manoel Bruno chegou a usar um cabo de rodo para fazer um torniquete e apertar a garganta do avô ainda com mais força. “Mesmo assim, não conseguiu asfixiá-lo até a morte. Foi quando usou a enxada e golpeou quatro vezes a nuca de Manoel Ferreira, que veio à óbito”, conta.

Após o crime, Manoel Bruno deitou o avô no chão e posicionou um banquinho de forma que desse a entender que o aposentado havia caído da cama e batido a cabeça. Minutos depois, a mãe de Manoel Bruno chegou na casa, e acreditou na história contada pelo filho.
Objetos usados por Manoel Bruno para matar o avô

O investigador Robinson Castillo conta que Manoel Ferreira dos Santos chegou a ser enterrado, mas que um tio de Manoel Bruno desconfiou dos ferimentos no pescoço do aposentado. Ele acionou o delegado Eduardo Ferreira, que solicitou a investigação.

Robinson Castillo conta que interrogou Manoel Bruno na manhã de sábado. “Ele sorria enquanto contava para a equipe como fez. Não sente nada”, comenta o investigador. Manoel Bruno contou que sua intenção não era matar o avô, mas o tio que terminou por denunciá-lo. Como não o encontrou na casa, matou o aposentado.

Liberado

Como o crime aconteceu na quinta-feira e só foi descoberto na manhã de sábado, a polícia não pode prendê-lo em flagrante delito, e Manoel Bruno está em liberdade. Agora, o delegado Eduardo Ferreira pedirá a prisão do jovem, além da exumação do corpo do avô, para investigação posterior.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe sua opinião. Ela é muito importante para nós...